Servidores do Hospital Walfredo Gurgel estão sem alimentação há cinco dias e corredores estão lotados de pacientes

Os servidores do Hospital Walfredo Gurgel estão há 5 dias sem alimentação devido à greve dos terceirizados, segundo informou o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindsaúde). Com isso, os servidores têm que pagar do próprio bolso para poder se alimentar durante os plantões.

Além do problema da falta de comida, o sindicato denuncia que há vários pacientes esperando por cirurgias nos corredores no 2º, 3º e 4º andares. A diretora do Sindsaúde e servidora do Walfredo Gurgel, Elizabeth Teixeira, diz que a gestão da unidade está tentando mascarar o problema no Hospital. “Estão tirando os pacientes do andar de baixo e levando para cima. A direção quer passar uma imagem bonita da desordem aqui no Walfredo”, disse.

Na semana passada, o Sindsaúde registrou 96 pacientes internados nos corredores do hospital. A equipe contava apenas com 8 técnicos de enfermagem.

“A superlotação no Walfredo Gurgel é recorrente. Não há leitos suficientes no Estado. Para piorar, o hospital de Canguaretama foi fechado no ano passado e o Rui Pereira sofre ameaça de fechamento”, escreveu o sindicato em seu site.

A entidade reclama ainda de falta de medicamentos básicos, excesso de trabalho e déficit de profissionais. “As más condições de trabalho acabam comprometendo a saúde mental dos trabalhadores”, acrescenta.