Senadora do RN diz que Governo Bolsonaro “vende o que tem, para depois alugar”

A senadora Zenaide Maia (Pros-RN) criticou nesta terça-feira (18) em Plenário a possibilidade de o governo federal realizar privatizações de empresas públicas sem que sejam debatidas e submetidas à aprovação do Congresso. Segundo informações divulgadas pela imprensa, haveria o entendimento do governo de que a lei do Programa Nacional de Desestatização já autorizaria de forma genérica a venda de empresas públicas.

A parlamentar, que é presidente da Frente Mista da Soberania Nacional, condenou ações como a venda da lucrativa Embraer para a Boeing – “a preço de banana em final de feira” — e de gasodutos do Norte e Nordeste, por uma subsidiária da Petrobrás, que hoje paga o aluguel desses mesmos dutos para poder transportar o gás.

— A gente só acredita num negócio desse porque está vendo. Como é que você vende o que tem, para depois alugar? E não estão falidos; são superavitários!

Zenaide Maia também teceu críticas aos planos de venda da Casa da Moeda e dos Correios. Ela lembrou que no Rio Grande do Norte, em quase 70% dos municípios, a única agência bancária que existe são as agências dos Correios, que em sua opinião seriam fechadas, no caso de privatização, por não darem lucro expressivo.

Segundo a senadora, é irrisório o preço que o ministro da Economia, Paulo Guedes, prevê para a venda da Eletrobrás: R$ 16,2 bilhões. 

— Aí a gente dá o direito a outro país de acender e apagar a sua luz. Isso não é ser o Brasil acima de todos, como se diz — afirmou.

Agência Senado