Sargento Gonçalves afirma que se sentiu traído por Lagartixa: “Foi desleal a atitude dele”

O deputado federal Sargento Gonçalves (PL) afirmou nesta segunda-feira (13) que o policial militar reformado Wendel Lagartixa (PL) foi “desleal” por ter divulgado nas redes sociais trechos de uma conversa privada entre os dois pelo WhatsApp. Em entrevista à 96 FM, o deputado federal disse ter se sentido traído pela divulgação dos áudios – que, segundo ele, foram apresentados fora de contexto.

“Fiquei frustrado, muito triste. No outro dia que eu vi o áudio montado nas redes sociais, eu amanheci o dia, parecia que eu estava de luto. Parecia que eu tinha perdido alguém que amava. Eu me senti traído, foi desleal a atitude dele comigo. Eu jamais faria com ele ou qualquer outra pessoa”, afirmou Sargento Gonçalves.

O deputado federal disse, ainda, ter estranhado a postura do aliado. “Não sei se é um surto psicótico ou do que está se tratando. O que foi feito nem contra um inimigo eu faria. Pegar áudios pessoais numa conversa pelo WhatsApp e expor na rede social, inclusive montar…”, afirmou Gonçalves, acrescentando que o amigo foi “destemperado”.

A conversa privada entre os dois foi vazada no fim de semana por Wendel. Nas mensagens, Lagartixa aparece cobrando de Sargento Gonçalves um direcionamento para as ações de mandato – já que Wendel foi chamado para trabalhar no gabinete do aliado. Lagartixa reclama do distanciamento do aliado político e reclama após Gonçalves relatar que não compartilha com ele todas as informações sobre o mandato.

Dobradinha e rompimento

Lagartixa e Sargento Gonçalves fizeram uma dobradinha nas eleições. O primeiro obteve a maior votação da história do Rio Grande do Norte para deputado estadual – 88 mil votos –, mas não pode tomar posse por uma decisão judicial. Já Gonçalves foi eleito deputado federal beneficiado pela parceria política.

Nesta segunda-feira (13) pela manhã, depois da repercussão dos áudios, Lagartixa anunciou o rompimento político. O motivo do rompimento não foi detalhado por Wendel, mas, em um vídeo publicado no Instagram, ele reclama do distanciamento do deputado federal após a eleição que os dois venceram juntos.

“Eu rompi com o senhor. Estou rompendo por causa do seu mau-caratismo como político. Não tenho o que falar do senhor em viatura, mas, como político tenho certeza que o senhor vai ter a mesma desenvoltura que os políticos do Rio Grande do Norte têm, em sua maioria. Do jeito que eu usei a rede social para lhe elogiar, eu uso para falar o que eu penso do senhor”, afirmou Lagartixa no vídeo.

Relação entre os dois

Segundo Gonçalves, a postura de Wendel justifica a postura dele. “Ali apenas confirmava que eu tinha razão de não compartilhar nem tudo com ele, pelo descontrole dele. Não pode pegar temas importantes, sensíveis, eu passar para uma pessoa que, daqui a 10 minutos, vai jogar nua rede social. A política é feita de conversas, arrumações de estratégia”, enfatizou o deputado federal.

Durante a entrevista, o deputado federal citou a relação de amizade entre ele e Lagartixa. Indiretamente, Gonçalves fez também referência ao atentado que os dois sofreram em 28 de setembro do ano passado, três dias antes da eleição. O evento catapultou a votação histórica de Lagartixa e a eleição de Gonçalves como deputado federal. Na ocasião, Gonçalves reagiu e matou um bandido.

“Minha relação com Wendel não é política. Tenho uma relação de amizade. Tenho um carinho grande. Já dei provas do amor que tenho por ele. Coloquei minha vida à disposição para proteger a vida dele. Eu tenho 18 anos que conheço da atividade policial. Tenho responsabilidade espiritual com ele”, afirmou Gonçalves.

O deputado citou, ainda, o episódio em que uma filha de Wendel Lagartixa foi morta, durante o dia dos pais de 2021. “Quando eu cheguei, eu tive uma proximidade, fui muito sensibilizado. Ali eu me vi no sofrimento dele. E criei essa responsabilidade espiritual com ele. de lá para cá eu tive esse envolvimento de amizade e irmandade”, afirmou o deputado federal.

Contratação na Câmara

Durante a entrevista, Sargento Gonçalves completou que reafirma o que disse nos áudios a Lagartixa. O deputado federal disse que já indicou Lagartixa para um cargo no gabinete dele na Câmara dos Deputados, enquanto ele não puder assumir o mandato na Assembleia Legislativa, mas que a contratação ainda aguarda trâmites burocráticos.

“Eu falei que era preciso ter paciência, o que estava acontecendo. Falei que a contratação na Câmara não dependia de mim. Wendel irá ocupar, se quiser, o cargo mais alto que existe. Eu nunca fiz compromisso nem ele comigo. Eu, entendendo, me coloquei à disposição e disse que estaria com a gente. E coloquei o cargo mais elevado que há. Indiquei Wendel. Está lá no sistema no cargo”, acrescentou.

98 FM