Potiguar Italo Ferreira será 1º brasileiro a entrar para o Hall da Fama do Surfe nos EUA

Primeiro campeão olímpico da história do surfe, Italo Ferreira, aos 29 anos, será o primeiro brasileiro a colocar os pés e as mãos no Hall da Fama da modalidade. O potiguar, campeão mundial em 2019, será homenageado em Huntington Beach, na Califórnia, em cerimônia a ser realizada em 4 de agosto.

Segundo os organizadores, a inclusão de Ítalo no Hall da Fama é uma homenagem ao “seu notável impacto no esporte, sua contribuição para a cultura do surfe e suas conquistas memoráveis”. O surfista brasileiro foi ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, em 2021, primeira edição olímpica a ter o surfe entre os esportes.

O Hall da Fama do Surfe, nos Estados Unidos, também irá incluir, na mesma cerimônia, a jornalista americana Laylan Connelly e o argentino Fernando Aguerre, presidente dat International Surfing Association (ISA).

– Essa homenagem me deixa muito motivado. Sou filho de um pescador de uma cidade pequena do litoral do Brasil e ter a oportunidade de ser lembrado ao lado de grandes ícones mundiais do meu esporte é realmente algo inesquecível, uma verdadeira honra – comenta Italo, que começou a surfar aos oito anos, em Baía Formosa, no Rio Grande do Norte.

– O surfe tem uma história, espírito e cultura incríveis, únicos. Estamos extremamente empolgados em poder preservar uma parte da nossa história do surfe de uma maneira única e especial, para que as futuras gerações possam desfrutar. Estamos aqui pelo amor ao surfe. Esse é nosso principal propósito, nossa paixão e nosso impulso para o que fazemos – disse Aaron Pai, fundador do Hall da Fama do Surfe.

O anúncio da inclusão de Ítalo no Hall da Fama é feita na semana em que Italo foi vice-campeão do Surf Ranch Pro, na Califórnia, em decisão polêmica contra o americano Griffin Colapinto. Após a decisão na etapa da piscina de ondas artificiais nos EUA, o surfista potiguar fez um texto dando a entender que discorda do julgamento das suas notas na final deste domingo.