Empresa que aponta Bolsonaro na frente de Lula é multada em 80 mil por divulgação de pesquisa com irregularidades

A ministra Maria Claudia Bucchianeri, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), multou a empresa Futura Consultoria em R$ 80 mil por divulgar pesquisa eleitoral com “múltiplas irregularidades” em agosto. A consultoria é responsável pela pesquisa Modalmais/Futura, contratada pelo Banco Modal.

Em nota (confira a íntegra abaixo) ao UOL, a Futura Consultoria esclareceu que “ao cadastrar o arquivo para registro da pesquisa junto ao TSE, a Futura anexou o arquivo errado.” “Trata-se de um erro humano, operacional e medidas para reforço dos controles internos foram realizados, com os devidos procedimentos para que isso não ocorra novamente, em compromisso com nossa atuação e papel social.”

Segundo o pedido da Coligação Brasil da Esperança (composta pelos partidos PT, PCdoB e Partido Verde; que tem como candidato ao Palácio do Planalto Luiz Inácio Lula da Silva), a pesquisa apontou, “com grande disparidade dos demais levantamentos realizados no mesmo estado por outros institutos de pesquisa, que o cenário político-eleitoral no Estado de Minas Gerais apontaria Jair Bolsonaro à frente de Lula na corrida presidencial”. No fim do primeiro turno, Lula teve 48,3% ante 43,6% do candidato à reeleição no estado.

No TSE, esclarece a decisão, a pesquisa coletou dados sobre a disputa à presidência, porém, no registro estava que a coleta de informações seria apenas para os cargos de governador e senador de Minas Gerais.

De acordo com dados no TSE, a pesquisa teve 1.200 entrevistados e foi feita entre os dias 12 a 16 de agosto. A margem de erro do levantamento era de 2,8 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi divulgado pelos sites O Antagonista e Metrópoles.

UOL