Mais de 76 mil raios caíram no RN neste ano; confira dicas para se proteger

Nos três primeiros meses do ano, o Rio Grande do Norte já registrou 76.271 raios. O número é 41% superior ao registrado no mesmo período de 2022, quando foram 54.169 ocorrências. Os dados foram divulgados pela Neoenergia Cosern, com base na plataforma Climatempo.

Os meses de março seguem registrando recordes de descargas atmosféricas. Foram 25.949 em 2022 e 36.797 ocorrências em 2023. De janeiro para março deste ano, a plataforma ClimaTempo contabilizou uma elevação considerável no número de raios que descem em direção ao solo: 362,5%. Ou seja, de 7.956 para 36.797 em números absolutos.

O chefe da unidade de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), Gilmar Bristot, falou sobre os fatores que contribuem para a incidência de raios no estado.

“Uma das principais caracteristicas é o calor. O interior do Nordeste tem temperaturas médias de 34ºC, 35º no período da tarde, e quando você tem, associado a esse calor, a umidade que é conduzida pela Zona de Convergência, você tem o desenvolvimento de nuvens cumulonimbus, que geram os raios”, explicou.

E é nesse tipo de nuvem que os fenômenos acontecem. “Essas nuvens atingem de 12 a 16 km de altura. Dentro dessa nuvem, você tem o movimento vertical muito intenso das gotículas de água. Esse movimento faz com que haja geração de energia, que é responsável por carregar as nuvens, com polos positivos e negativos. Quando ela está saturada, essa energia é descarregada em direção ao solo, provocando deslocamento do ar, resultando no trovão, e o raio atingindo na superfície”, acrescentou.

Outro fator é o relevo. “Algumas áreas têm mais facilidade por causa do relevo. A região do Vale do Açu, Chapada do Apodi, Alto Oeste tem muitas descargas elétrica devido à influência do relevo na formação de instabilidade, faz com que o ar ganhe estabilidade ao ser forçado a subir na encosta da serra”, completou.

A Neoenergia Cosern destacou que acompanha as previsões climáticas em todo o estado. “Monitoramos, de maneira ininterrupta, a questão climática em todas as regiões do Rio Grande do Norte. Nossas equipes são treinadas para atuar no menor intervalo de tempo possível quando há interrupção no fornecimento de energia provocado pela queda de um raio, priorizando sempre a segurança da equipe e da população”, ressalta Osvaldo Tavares, superintendente Técnico da Neoenergia Cosern.

Os raios que já caíram no estado este ano causaram mais de 1.400 interrupções no fornecimento de energia elétrica e danificaram aproximadamente 400 equipamentos do sistema, incluindo postes, transformadores, isoladores e cabos. Além de provocar perturbações no sistema elétrico da distribuidora, a queda de tantos raios pode comprometer as instalações elétricas das residências.

“A energia contida no raio sempre procura a terra. Ao atingir uma edificação, o caminho natural que ela percorre é por meio das partes condutivas das instalações elétricas, as ferragens estruturais ou, quando existentes, os cabos e hastes específicos para essa função. Por isso, é extremamente importante que durante uma tempestade acompanhada de raios, as pessoas retirem os aparelhos elétricos das tomadas como forma de prevenção a choques e danos nos eletrodomésticos”, recomenda Tavares.

Um caso recente que chamou a atenção aconteceu no último domingo (09). A subestação da companhia em Acari, no Seridó Potiguar, pegou fogo ao ser atingida, ao que tudo indica, por um raio. A ocorrência deixou 14 municípios do RN sem energia por cerca de um hora.

No entanto, em Acari e em Carnaúba dos Dantas, o problema no fornecimento de energia só foi solucionado depois que a Cosern enviou uma subestação móvel.

Confira dicas para se proteger de raios

Busque abrigo tão logo veja nuvens carregadas no céu ou escute um trovão;
Evite colher frutas, legumes ou verduras, abrigar-se ou caminhar perto de árvores;
Não fique próximo a animais e nem ande a cavalo;
Não fique próximo a cercas de arame;
Não fique próximo a objetos metálicos pontiagudos como enxadas, pás e facões;
Não se abrigue debaixo de varandas, barracos e celeiros;
Não caminhe em áreas descampadas;
Não fique parado em rodovias, ruas ou estradas;
Não suba em locais como telhados, terraços e montanhas;
Não se banhar em praia, rio, açude ou piscina durante uma tempestade;
Não utilizar equipamentos elétricos ligados à rede elétrica;
Não falar ao telefone com fio ou utilizar o celular conectado ao carregador;
Não tomar banho em chuveiro elétrico.

Números

Queda de raios no RN em 2022
Janeiro: 20.239
Fevereiro: 7.981
Março: 25.949
Total: 54.169
 
Queda de raios no RN em 2023
Janeiro: 7.956
Fevereiro: 31.518
Março: 36.797
Total: 76.271