Mais de 1,5 milhão de beneficiários irregulares serão excluídos do Bolsa Família, diz ministro

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias, disse nesta sexta-feira (24) que 1,55 milhão de beneficiários do Bolsa Família serão excluídos do programa em março.

Segundo o ministro, o governo identificou que essas pessoas estavam recebendo o benefício de forma irregular.

“Nossa expectativa é que, ao final da triagem, cerca de 2,5 milhões de benefícios serão cancelados. Hoje, temos 21,9 milhões de famílias recebendo. Nosso objetivo não é excluir, é tirar quem não precisa e incluir quem necessita do benefício”, afirmou Dias em entrevista à GloboNews.

O ministro ainda afirmou que cerca de 2.265 famílias decidiram sair voluntariamente do programa, por meio de um aplicativo disponibilizado pelo governo federal. “Nós abrimos a possibilidade de as pessoas que não se encaixavam se apresentarem voluntariamente e saírem do programa. Isso aconteceu com essas famílias”, disse.

De acordo com Dias, outras 700 mil famílias, que se encaixam nas regras do programa e ainda não estão recebendo o benefício, serão incluídas no Bolsa Família.

O ministro também confirmou que será criado um valor extra para as famílias que são mais numerosas. Ele lembrou que o modelo utilizado no governo de Jair Bolsonaro (PL) pagava R$ 600 para uma família de um só membro e para outras com seis a sete integrantes.

“Não faz nenhum sentido. Por isso, vamos ter também uma valor extra per capita, para atender às famílias mais numerosas. Quem vai tomar a decisão final é o presidente Lula”, afirmou.