EUA sinalizam US$ 50 mi ao Fundo Amazônia

Os Estados Unidos anunciaram a intenção de trabalhar com o Congresso americano — cuja Câmara é dominada pela oposição republicana — para fornecer recursos para programas para a Amazônia brasileira, incluindo “apoio inicial ao Fundo Amazônia”.

A declaração foi feita em comunicado conjunto após encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente Joe Biden na Casa Branca, nesta sexta-feira. Apesar do tom favorável, o comunicado não citou cifras. Mas fontes confirmaram ao Globo informação inicialmente dada pela BBC Brasil de os EUA pretendem fazer um aporte inicial de US$ 50 milhões.

“Os Estados Unidos anunciaram sua intenção de trabalhar com o Congresso para fornecer recursos para programas de proteção e conservação da Amazônia brasileira, incluindo apoio inicial ao Fundo Amazônia, e para alavancar investimentos nessa região muito importante”, diz trecho do documento divulgado na noite desta sexta-feira pelo Itamaraty.

Antes do encontro na Casa Branca, havia expectativa de que os EUA anunciassem a entrada no fundo, a principal iniciativa de arrecadação de recursos para conservação e combate ao desmatamento na floresta. Cogitou-se mencionar os US$ 50 milhões no documento, porém, o valor é considerado baixo pelo governo brasileiro.

Há uma expectativa de que, em viagem ao Brasil, o enviado especial para o clima, John Kerry, apresente uma cifra maior.

O Globo