Após pressão de familiares, Temer desiste de apoio oficial a Bolsonaro

O ex-presidente Michel Temer (MDB) desistiu de apoiar oficialmente o presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno da disputa presidencial. 

Em nota, Temer diz que aplaudirá a candidatura que “defender a democracia, cumprir rigorosamente a Constituição, promover a pacificação, manter as reformas já realizadas no meu governo e propor ao Congresso Nacional as reformas que já estão na agenda do país”. 

A nota, no entanto, faz uma sinalização a Bolsonaro, principalmente quando defende a manutenção “das reformas já realizadas no meu governo”. O PT já defendeu a revogação do teto de gastos e a suspensão de trechos da reforma trabalhista. 

As filhas de Temer ficaram insatisfeitas com encontro que pai teria no fim de semana com Bolsonaro para declarar apoio a ele —o MDB liberou seus diretórios a decidir quem apoiar e o de São Paulo foi com Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato do bolsonarismo que conta com o apoio do ex-presidente. 

Luciana Temer, por exemplo, têm posições publicas progressistas e já foi Secretária de Assistência e Desenvolvimento Social da cidade de São Paulo durante governo Haddad. 

Temer ensaiava uma aproximação com o PT, mas a operação acabou suspensa após Lula afirmar no debate da Globo que o ex-presidente era “golpista”.

G1